As aparências enganam?

Existem muitos fatores que influenciam o layout de uma loja, como, por exemplo, a localização, o público-alvo, a época do ano, as campanhas sazonais, promoções, tendências, moda, política, economia etc. Tudo no macro e micro precisa ser analisado com cuidado, para depois definir fatores como iluminação, cores, cenografia e decoração, e é claro, disposição de produtos e quais produtos serão expostos no espaço interno da loja e nas vitrines.

É importante chamar a atenção sem abusar. Quando falamos em moda, joias, tecnologia, ou qualquer outra categoria, onde há muita informação não enxergamos nada. Os produtos devem estar em harmonia e não adianta misturar tendências, produtos de categorias diferentes (looks esporte e social, por exemplo) e causar confusão, pois o cliente passará direto. Um aliado é a divisão de itens: abuse dela, e se por acaso precisar colocar produtos muito diferentes na mesma vitrine, deixe próximo o que for comum.

Escolher o que colocar na vitrine depende de diversos fatores, como por exemplo, público-alvo. Quando falamos em uma marca de bolsas para a Classe A, não é preciso encher a vitrine com vários modelos, podemos montar uma vitrine apenas com um modelo de bolsa em destaque. Já em lojas populares mais produtos são expostos, mas mesmo assim não precisa fazer uma salada. Mesmo que sua loja não os venda, poderá expor acessórios e sapatos para completar um look, criando algo próximo ao real, lembrando sempre de não poluir, não exagerar.

Quanto ao tempo, você pode até manter um cenário de uma vitrine por um longo período, mas troque os produtos sempre que puder, exponha novidades, promoções, tome cuidado para sua vitrine não virar paisagem.

Outro fator importante é lembrar a que distância os seus produtos serão visualizados, se é loja de rua ou loja de shopping. Se for em shopping, não adianta colocar uma comunicação gigante nas lojas, já que as pessoas estão a pé na porta da loja. Já em lojas de rua, é preciso tentar chamar a atenção para as pessoas que passam de carro, mas é necessário estar atento às leis da prefeitura.

Com relação à iluminação, muita luz ofusca e pouca iluminação apaga a vitrine, enquanto o mundo aparece. Faça um estudo, veja o que irá expor, deixe focos de luz nos produtos, tome cuidado também com os fios, aparentes. O importante é lembrar que o projeto deve possibilitar a mudança ou adequação da iluminação, quando necessário.

É comum saber que as cores influenciam: alegram, acalmam, agitam. O mesmo acontece em lojas e vitrines. Sempre é preciso pensar nos produtos que serão expostos, tudo precisa sempre estar em equilíbrio, muito colorido espanta, sobriedade demais perde a graça, observe as tendências e use essas cores. Além disso, cada cor passa uma sensação, veja o que precisa transmitir, combine as, usando de forma adequada.

Além disso, não adianta pesquisar, estudar o cliente, investir em cenário, Iluminação, exposição de produtos etc., se não tiver uma equipe de vendedores competente e motivada. Não adianta investir em atração, e depois ficar se perguntando o porquê das vendas não melhorarem.

Mas a principal estratégia como em qualquer comunicação, é conhecer o seu público-alvo, o que ele quer, o que ele procura, quais são as vantagens que ele procura, o que ele compra? Seja diferente, seja exclusivo, personalize, faça com que percebam sua marca como especial, crie um tema interessante, passe um recado com conteúdo, transmita uma mensagem, ligue a sua marca, faça com que ele veja sua loja, entre, compra e volte.

Tatiana Engels – Produtora
Twitter: @Tati_Engels

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>