Não é por falta de opção…

midia_on_off

É bem possível que você já tenha ouvido que hoje em dia tudo é mídia. Se formos criar uma lista com todos os meios que são possíveis de serem comercializados, perderemos horas e horas. Uma tela de cinema, um jogo americano e até uma caixa de pizza são considerados mídia.

Contudo, antes da chegada da Internet, os meios tradicionais predominavam. A TV, com a sua “monopolização”, detinha a maior parte dos investimentos publicitários – não que hoje seja diferente -, mas não existia tanta diversidade de meios e espaços publicitários. Fora a TV, tínhamos o rádio, a revista, o jornal, outdoors e outros meios de menor alcance. Com a chegada e a disseminação da Internet, esse cenário mudou bastante.

Além das inúmeras possibilidades de espaços publicitários que a Internet propiciou, com ela conseguimos descobrir outros meios que antes eram desconhecidos. Todos os dias surgem meios novos, “alternativos”, revolucionários, e a Internet facilitou muito a descoberta e a relação com essas novidades.

The-Big-Value-in-online-marketingA Internet também nos proporcionou algo inédito e que inovou a publicidade: a integração com vários outros meios. Hoje é possível integrar um meio extremamente tradicional como o jornal, a uma ação nas redes sociais, em um blog, enfim… Possibilidades não faltam!

Mas não tenho a pretensão de destacar somente a Internet. Ela só foi uma facilitadora em meio a toda essa transformação. O que realmente fez a diferença para a publicidade e que “desengessou” os criativos foi o surgimento das novas mídias.

Hoje podemos pensar em todos os formatos possíveis e imaginários para uma campanha, pois tudo é comercializável. Não existem restrições, limites ou barreiras e ninguém quer perder negócio. Com o surgimento de tantos veículos com ideias de mídias cada vez mais ousadas, a concorrência aumentou absurdamente e todos querem arrancar uma fatia do bolo.

Com esse novo cenário todos saíram beneficiados. Os profissionais de mídias possuem um leque maior de opções na hora de planejar a campanha, os criativos têm maior liberdade na criação das peças, os anunciantes se veem num mercado com muito mais concorrência e, com isso, as negociações são mais agressivas. Os veículos, por sua vez, ganharam mais espaço para desenvolver projetos e oferecer novas oportunidades.

Dessa forma, podemos dizer que hoje nos encontramos num momento muito mais livre, em um cenário sem limitações de ideais ou desculpas que justifiquem uma campanha engessada, e tudo isso culminou em vitória. Vitória que foi alcançada de forma silenciosa e sem deixar de ser revolucionária!

Luiza Bejarano -  Assistente de Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>